Os catadores de matérias reutilizáveis e recicláveis desempenham papel fundamental na implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), com destaque para a gestão integrada dos resíduos sólidos. De modo geral, atuam nas atividades da coleta seletiva, triagem, classificação, processamento e comercialização dos resíduos reutilizáveis e recicláveis, contribuindo de forma significativa para a cadeia produtiva da reciclagem.
Sua atuação, em muitos casos realizada sob condições precárias de trabalho, se dá individualmente, de forma autônoma e dispersa nas ruas e em lixões, como também, coletivamente, por meio da organização produtiva em cooperativas e associações. 
 
Leia mais »

Os resíduos sólidos representam um dos maiores desafios para a sociedade, pois o acúmulo de produtos descartados evidencia um dos maiores problemas do nosso atual modelo econômico: ele é linear. Nós retiramos a matéria-prima do meio ambiente, a transformamos em um produto e depois que esse produto é utilizado ele simplesmente é descartado em aterros, ou nos lixões – que são proibidos por lei. 
 
Leia mais »

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) publicou no dia 12/09/2016, em sua página web, a estimativa da polução brasileira, na qual aponta que o Brasil tem 206.553.592 habitantes. Considerando que cada brasileiro produziu em média 1,062 kg de resíduos sólidos por dia, temos por ano a produção de 387,63 kg de lixo per capita. 
 
Leia mais »

Se você acompanha as postagens da Sponge já percebeu que sempre mencionamos que o lixo possui valor de mercado e que pode gerar receitas quando corretamente separado e destinado. Uma freguesia em Lisboa (Campolide), Portugal, resolveu colocar essa ideia em prática e desenvolveu um projeto, limitado a poucas semanas, para “pagar” seus moradores por cada quilo de resíduos reciclados que fossem entregues à autarquia.
Neste projeto, a Junta da Freguesia criou uma moeda própria: O Lixo – onde existia um limite de 10 Kg que poderia ser entregue, ou seja 20 “lixos”, no máximo para cada pessoa. O “lixo”, enquanto moeda de troca, podia ser usado em 70 lojas do comércio local, que aderiram à iniciativa, e que podiam ser consultadas no respetivo site deste projeto de incentivo à reciclagem.
O vídeo abaixo explica melhor o projeto e também serve de inspiração para começarmos a desenvolver campanhas de recuperação de resíduos através da Sponge. 
 
Leia mais »